domingo, setembro 03, 2006

Jung Chang

A humanidade tem tido revoadas de delírio, crises agudas de demência que, acalmados os ânimos, virada a página, nos deixam estupefactos pela forma como a realidade pode superar a ficção mais arrojada.
"Cisnes Selvagens", é um livro que contêm o relato de Jung Chang, sobre um periodo de loucura relativamente mal conhecido, perfeitamente desconcertante. Vale a pena lê-lo. Mais que não seja, servirá para reflectir-mos sobre a incongruência da chamada inteligência racional!
...Levianos, temerosos e inseguros, os homens, parece conseguirem tranquilizar a consciência, refugiados no instinto de sobrevivência com que justificam a adopção de convicções que lhes chegam mastigadas, em aberrantes manuais de propaganda. Impotentes, prepotentes, não se poupam a esforços para manterem os neurónios em repouso e, assim evitarem decidir sobre a própria vida.
Uma vez convencidos de estarem protegidos por um líder que aceitam venerar enquanto este lhes pisa os calos... recebida a garantia de que no mundo existe alguém mais miserável que eles próprios... a loucura, poderá durar por tempo indeterminado e a perfídia chegar onde nunca alguém ousou imaginar!
...Estranha, a inteligência racional deste animal que se diz superior!

3 comentários:

yulunga disse...

Começam-me a baralhar (para além de me irritar, claro) estes novos conceitos: inteligência racional e emocional.
Será que também existe a estupidez emocional e a racional?
É que se existir, eu seguramente, quero ser uma estúpida emocional e uma inteligente racional.

yulunga disse...

Ahhhhhh.... mas fazendo apenas uso da estupidez emocional.

uivomania disse...

Parece que até já está definida uma inteligência e por isso uma estupidez... social! Aquela das massas!