quinta-feira, novembro 30, 2006

Formas de ver as coisas

Jorge Nogueira, numa nota de leitura em www.fnam:

Na Edição de 28 de Fevereiro do BMJ, Jane Burgermeister relata a proibição da privatização de hospitais, pela coligação governamental no poder na Suécia, por receio de que a expansão dos cuidados de saúde privados possa destruir o princípio de um serviço de saúde justo e gratuito.

As autoridades provinciais, responsáveis na Suécia pelo sistema de saúde local, não serão no futuro autorizadas a ceder a gestão de um hospital a uma companhia baseada no lucro. Isto depois de duas autoridades provinciais, ambas controladas pelos partidos de centro direita, terem privatizado alguns hospitais estatais. No entanto o Governo, uma coligação de social-democratas com partidos de centro esquerda, argumentou que a privatização de hospitais punha em causa um princípio fundamental da saúde do país – a saber, que o tratamento médico deve ser proporcionado a cada doente de acordo com a sua necessidade e não com a sua capacidade para pagar... e continua...

Por cá, parece que está tudo dito, ou visto! Quer dizer, quem quizer cuidados de saúde com a qualidade que um sistema inteligente deveria proporcionar, bem que pode esperar sentado (se restarem cadeiras)!...
Irónico, é o cidadão cívico que não quer "entupir" as urgências do hospital com uma pressuposta gripe do filho, passar 12h desde o posto da caixa (à cata de desistências que não houve, ou de uma "palavrinha" à médica que não a quis ouvir) até ao catus e, enquanto aguarda, deparar com uma página inteira do expresso que publicíta/noticía o novo hospital exemplar do lumiar, com maquete e tudo - um investimento privado de um subgrupo do BES -, e quando chega a casa, com o puto cheio de dores de cabeça e febre (afinal era varicela, andou por lá a contagiar a malta e não devia apanhar correntes de ar...), estar a dar o DR. House!

Não fosse a saúde um pilar fundamental para podermos sair deste pântano em que nos encontramos, e o facto de o pai ter faltado a um dia inteiro de trabalho, ou de o puto ter andado o dia inteiro e boa parte da noite naquele estado a espalhar o vírus da varicela, não seria assim tão grave mas, já se sabe, não somos Suecos. Temos de viver com o que temos! Estádios de futebol... e isso assim! Só para o Aquamatrix gastamos mais de um milhão de contos!... Os Suecos até ficam de olhos tortos...

10 comentários:

pianola / Sonia R. disse...

Sida, 25 anos depois. Bom dia.

pintoribeiro disse...

Pois. Formas.

Anónimo disse...

por cá? todos bem! e quem quer saúde, paga-a!...

abraços

pianola / Sonia R. disse...

Não gosto do Natal com férias no Brasil, idosos abandonados nos corredores dos hospitais, gente a dormir na rua. Bom dia.

amadis / pintoribeiro disse...

Abraço,

Nevrótica Aluada disse...

Mas alguém já ouviu falar de futebol sueco? Já alguém assistiu a um derby sueco? Claro que não! Ninguém tem uma cultura futebolística tão coesa como a nossa, não nos lixes pah, estás sempre a maldizer e isso faz-te mal à saúde!

uivomania disse...

Herético, paga-a e, se bem que possa ainda bufar, convêm bufar baixinho que é para não incomodar o vizinho!

uivomania disse...

Pianola a sida lá está, mais recatada, mais longe da vista, mas ainda em grande força e a estimular as forças vivas da industria farmacêutica. Já deviamos ter aprendido mais alguma coisa com ela.
Quanto ao Natal... Passemos à frente OK?

uivomania disse...

Amadis, obrigado pelo abraço.

uivomania disse...

Nevrótica: sempre que podes lá vens tu deitar a baixo pá! Mas acaso eu, disse mal de alguma coisa?! Aquílo são lá coisa dos suecos! A única coisa que os Suecos têem de bom são as Suecas, e mesmo assim... a mim não me apanham elas... que a mim, quem me tira uma gaja com cáries tira-me tudo!