quarta-feira, fevereiro 21, 2007

O revesso da folha virada

Anda por aí muita gente em delírio a imaginar negócios onde os não há! Gente que só pensa no lucro, não estuda a fundo os mercados, e depois é o que se sabe!... E isto, não é só em Portugal! Desta feita, não é um Português, trisneto de conde ou marquês, a quem, por estar bem relacionado e inscrito no partido em que a coisa está a dar, lhe saiu na rifa um subsídio para pôr em marcha uma pata choca que não sai do lugar! Afinal, também aquí na vizinha Espanha, existem imbecis! Senão, vejamos: então agora que o crime não tem pena e que o Correia de Campos já disse que mediante uma taxa moderadora o SNS está em condições de fazer abortos às grávidas que não estiverem satisfeitas com o estado ( o seu, delas...), as clínicas Espanholas especializadas em fazer abortos vêem abrir filiais em Portugal?! Estranho! Não?!
Então, esta gente não entende que vão ficar às moscas? Que quem quiser abortar vai concerteza recorrer ao SNS, em que a troco de uma taxa moderadora vai ter tudo o que tem direito, incluíndo acompanhamento psicológico, assistência social, periodo de reflexão, assistência médica condigna com assépcia total e no geral, um "tratamento" exemplar!
...Ou, será que os nossos irmãos, estão a adivinhar que muito do que se disse não passa de retórica e que vai sobrar muito trabalhinho que o estado lhes vai pagar para fazerem?

5 comentários:

aquehoras disse...

Segundo parece a história reza assim: É verdade que no SNS as mulheres terão todas essas benesses, mas segundo o ministro não terão uma, muito importante, porém possível no privado, e que é a segurança quanto ao sigilo.

Ou seja, no privado o total sigilo é assegurado. No SNS não porque como qualquer utente, a mulher tem de preencher ficha de inscrição e dizer - entre dentes (ou não) - ao que vem.

herético disse...

são "nuestro hermanos" faz tanto tempo, que nos conhecem de cor...

e não nos levam a sério! como bem disse o outro: "é só fumaça!..."

entretanto, aproveitam...

abraços

uivomania disse...

Aquehoras:
Poderemos então chegar à conclusão de que o utente no SNS, não tem a garantia de sigilio?!

aquehoras disse...

Exactamente. Qualquer entrada de um paciente num hospital requer o preenchimento de uma ficha com os dados pessoais, e onde fica também registado ao que vem o paciente.

É obvio que não se espera das funcionárias administrativas de um hospital que comecem a gritar: "Olha, olha, esta vem abortar!!!", ou coisa do género.

Mas a verdade é que fica nos registos do hospital, que tal mulher (nome, idade, profissão, naturalidade, etc) deu entrada no dia tal às tantas horas para abortar.

E estas listas hospitalares, não têm, segundo consta, nenhuma protecção legal quanto ao sigilo. Acho que podem ser consultadas por qualquer pessoa, desde que o justifique.

No privado nada disto acontece. O preço da operação já contempla o sigilo absoluto.

uivomania disse...

O sigilio profissional já não é o que era! Está tudo a ficar mais claro!... Quem quer sigilio... paga-o! ...Mais ao menos como a saúde...