terça-feira, maio 09, 2006

Um peito cheio de vazio 2

Tudo terá começado, no preciso momento em que um antepassado longínquo descobriu (dizem uns que por mero acaso, outros que, por desígnios transcendentes), a arte de rachar cabeças com uma simples moca. Essa descoberta, parece ter sido extraordinária!... Surpreendentemente, uma mocada bem aplicada, não só acabava em menos de nada com uma rixa, disputa ou teimosia, como tornava possível a quem desferia a pancada, estabelecer objectivos e fazer cumprir regras, sem mais, nem quês!
Boquiabertos, os membros do pequeno grupo em que a descoberta aconteceu, cedo verificaram a facilidade com que podiam chegar, impôr a presença e até expulsar os outros, dos locais de abundância. E isso, que para além do mais lhes permitiu confortar o estomago a seu belo prazer, como é bom de ver, tornou-os mais fortes e robustos.
Libertos da fome, constataram com agrado terem vindo a ficar com o peito mais cheio, os ossos mais compactos e, um crâneo em que sobressaia uma fronte mais alta e larga, parecia confirmar a superioridade dessa espácie de raça que, dominante, entendia merecer sem favor cada conquista, e via a ambição crescer desmesurada, como um dever.

2 comentários:

Visi disse...

Olá! Quero a gradecer a visita e dizer que gostei emenso do seu comentário ao meu artigo "Não há crise". Gostaria de pedir-lhe o seguinte: Posso postá-lo como um "apêndice" ao meu artigo, para melhor reforçar a idéia? È que, realmente, expressou o que eu gostaria de ter conseguido!

uivomania disse...

Olá Visionária! Bem vinda e obrigado também! Claro que não tenho nenhuma objecção a que me postes como "apêndice" :).