quarta-feira, maio 16, 2007

Vai lá vai, e não leves a manta...

Tenho andado numa lástima! Os sonhos são pesadelos, a mania, ganha em mim terreno e a teoria da conspiração ganha contornos de esquizofrenia a que só muito raramente consigo escapar. Desiludido com o estado - o meu e o deles (nestas doenças, há sempre, eles...) - lá me vou arrastando alucinado pela realidade, ainda que conserve uma pontinha de esperança de que tudo não passe de um desregule passageiro!...
Hoje por exemplo, acordei com o coração aos pulos no meio de um pesadelo desconcertante: vejam bem, que o Rui Teixeira (aquele juiz que se pôs para aí a prender pessoas que estavam acusadas de pedofilía lá naquele longuínquo processo da Casa Pia), estava no banco dos réus num tribunal em que o juiz era o Pinto da Costa. O advogado do M.P. que o acusava, era o Embaixador Rito e o de defesa era o Bi Bi! Havia um sururu enorme no tribunal e passava de boca em boca que o Presidente da Iberdrola ainda havia de ser ministro.
Subitamente, a Morgado entra no tribunal a segurar pelos cabelos uma cabeça degolada! Gritava: Comigo, a justiça não tarda! O diamante é de ouro e os apitos são para sempre!...
Enquanto isso, levanta-se da mesa dos jurados o Paulinho que, era ao mesmo tempo a Caterine e, avançou em direcção à cabeça com o dedo esticado gritando eufórico: o que tu querias, eram submarinos! ...A cabeça, era a minha!...
O Pinto da Costa bateu com o martelo na mesa, pediu silêncio e com toda a calma, disse: se alguém tem algo contra este casamento, que fale agora ou se cale para sempre e, eix que entrou de rompante no tribunal o Belmiro com o espírito do Pinto de Magalhães a ronda-lo. O Socrates, que vinha atrás com um detonador na mão passou para a frente do Belmiro, ajoelhou, mas não rezou... detonou!... No atrio do antes tribunal e agora igreja, do meio dos escombros saiu o Valentim Loureiro a gritar: Fátima Felgueiras à Cãmara de Lisboa, já!... Eu, sobressaltado, acordei. E podia jurar que ouvia palmas.

2 comentários:

herético disse...

então, não? quem está aqui a aplaudir com ambas as mãos, sou eu. pela tua verve...

um "terror" os teus pesadelos! abraços.

A. João Soares disse...

Mente rica de pensamentos actuais, enciclopédia dos podres deste rectângulo. E no próximo sono de ressaca não deixe de passear no camelino e de passar na ponte uns segundos antes de o ataque terrorista a demolir. E já assim, ao descolar da Ota não arme em herói e aperte o cinto para ver se escapa no choque do seu avião com aquele que vem de trás da serra de Montejunto, e que a torre de comando não conseguiu controlar devidamente por causa do nevoeiro.

Abraço