quinta-feira, janeiro 06, 2005

O boi sem nome

A Unicef emitiu um alerta:

Operam neste momento no terreno, palco da catástrofe provocada pelo maremoto, grupos organizados que se dedicam ao tráfego de crianças!

Muitos órfãos menores por sua conta e risco, muita gente em situação de carência extrema e desnorte que (na sequência da sobrevivência ameaçada) se esforça por engrossar a carapaça da insensibilidade perante o caos, o mercado negro, a falta de assistência médica, a fome... criam o cenário ideal, para que gente sem escrúpulos, actue, vestindo a pele de cordeiro evocando a vocação para levar a cabo assistência humanitária, procurando evitar a rotura dos seus stoks, com que desde há demasiado tempo têm abastecido e satisfeito o mercado!

Se... não tivesse havido esta catástrofe e a vida nestas zonas do globo, continuasse a desenrolar-se como se tem vindo a desenrolar, se... em consequência do tsunami, não estivesse em força no terreno a UNICEF que presencia e aproveitou para denunciar esta actividade... pergunto:

A procura desta "mercadoria" por parte do "consumidor final", que a quer adquirir, a tem vindo a adquirir e tem dinheiro para a pagar, estaria em declínio?!

Aumentou, por algum fenómeno estranho, esta procura, em consequência do tsunami?

Relacões:
Extrema miséria mascarada de dócil pitoresco.
Destinos de férias paradisíacos em palcos com figurantes com "armas apontadas à cabeça".
Divisas ocidentais que põem qualquer labrego a papar meninas/meninos de 10 anos, lá longe.
Olhos fechados aos devaneios de doentes mentais com dinheiro.
Investidores sem pátria, promotores e vendedores de turismo sexual para todos os gostos ao nível da aberração.
Venda de seres humanos (prostituição, pedofilia, trabalho escravizante, retirada de òrgãos...) para qualquer parte do mundo.
Processos de adopção que cheiram a podre a milhares de kms de distância.

Riqueza obsena, na mão de quem necessita urgentemente de ir tomar banho por dentro.
Psicóticos, prepotentes e arrogantes muito dinâmicos com um fusivel fundido.
Os coitados dos utilizadores que bancam a ignorantes e comem tudo o que lhes põem à frente em ar de brincadeira inocente, devaneio de uma semana com ida e volta ao "paraíso".

E que podemos nós fazer?!

- Podemos não fazer! Quem tem dinheiro para fazer uma proposta indecente, tem muito mais responsabilidade do que quem o não tem, em a não fazer!

Já agora dêem um pulinho a : http://www.aidsportugal.com/article.php?sid=728




2 comentários:

tounalua disse...

Há alturas em que a sabedoria popular se torna demasiado nítida: "Uma desgraça nunca vem só"!

uivomania disse...

O povo também diz: "Depois da tempestade vem a bonança"!